Exame para detectar câncer de pele: saiba qual é

Informações falsas sobre exame para detectar câncer de pele tem se disseminado com muita facilidade. Nos últimos tempos, as fake sciences têm tomado conta de muitos grupos de WhatsApp, Telegram e algumas outras redes sociais. 

Sendo assim, como a população Brasileira é desinformada acerca desse assunto, muitos não sabem as causas da doença. Ademais, poucos são os que sabem formas de prevenir ou procurar ajuda para diagnosticar por meio de um exame para detectar câncer de pele.

Os tipos mais comuns de câncer de pele poderiam ser prevenidos se políticas públicas desde a infância fossem disseminadas. Isso, de certa forma, traria um alívio para o Sistema Único de Saúde – SUS. Este, por sua vez, poderia juntar esforços para combater outros problemas de saúde de importância.

Como ocorre o câncer de pele?

O câncer de pele é algo que deveria ser prevenido desde a mais tenra idade. No entanto, como isso não é possível, a população brasileira acaba por tratar de forma leviana esse assunto, e dando pouca importância a ele.

O câncer de pele ocorre, em especial, por conta da exposição solar intensa durante muitos anos. Exposições essas que causam queimaduras e feridas na pele, e que podem ocasionar lesões que abrem brechas para desenvolver células estranhas (irregulares) de pele e, assim, desenvolver o problema.

Em outras palavras, o câncer de pele é um desenvolvimento anormal de células da pele, que pode se dar em várias camadas, de várias formas e extensões. Pessoas que trabalham expostas à luz solar e de pele clara têm uma grande chance de ter a doença.

Vale lembrar que essa doença não ocorre do dia para a noite. Na verdade, ela é resultado de anos de maus cuidados com a pele. Por isso, é importante se atentar a respeito do exame para detectar o câncer de pele.

Como prevenir o câncer de pele?

O que muito poucas pessoas sabem é que é possível prevenir o câncer de pele de uma maneira bem simples. Contudo, isso deveria ser ensinado desde a infância para as crianças e trabalhos de reeducação deveriam ser feitos também com os adultos para entenderem e procurarem a medicina de forma preventiva!

Alguns cuidados simples devem ser tomados. Como por exemplo, evitar a exposição solar entre às 10 horas da manhã e às 16 horas do período da tarde. Vale lembrar que caso antes ou após esse horário os raios solares já estiverem intensos, recomenda-se evitar exposição.

Usar roupas com proteção UVA e UVB é essencial. E, se possível, de manga longa, além de bonés e chapéus com abas longas para proteger toda a área do rosto. Fora isso, deve-se aplicar protetores solares com FPS 15 em todos os membros expostos à luz solar.

Evite a exposição do seu corpo à luz artificial de câmaras de bronzeamento de pele. Afinal, esse tipo estético de procedimento pode fazer com que, devido a incidência direta e constante, cause células irregulares!

No entanto, com certeza uma das formas mais eficazes diz respeito ao exame para detectar câncer de pele. Não que esse exame impeça a existência dessa doença. Contudo, ela é capaz de dar o diagnóstico precoce. Dessa forma, as chances de cura são maiores.

Como é diagnosticado o câncer de pele?

O câncer de pele muitas vezes é silencioso e sem dor, em especial em seus estágios iniciais. Sendo assim, ter conhecimento para detectá-lo com presciência se faz necessário. Afinal, se detectado nesse estágio, as chances de cura são enormes!

Primeiro, você precisa saber o seguinte: existem vários tipos de câncer de pele e os mais comuns. Ou seja, 90% deles se dá em áreas do corpo onde há grande exposição solar. Com isso, nesses locais, as chances de ocorrer são grandes.

A outra parte, cerca de 10% dos câncer de pele, podem ocorrer em áreas do corpo onde não ocorria exposição solar. Esses são os que, infelizmente, detectam-se com tempo de desenvolvimento mais elevado. Dessa forma, diminui as suas chances de cura.

Outra questão é: existem alguns grupos específicos de pessoas com maior chance de desenvolver a doença. Pessoas de pele clara ou aqueles que trabalham expostos ao sol todos os dias são grandes exemplos.

Isso não exclui outros tipos de grupos profissionais ou tipos de pessoas desse acontecimento. Porém, vale ressaltar que essa enfermidade também pode acometer pessoas de pele escura, ainda que em menor escala.

Ademais, o diagnóstico é feito através de um exame para detectar câncer de pele. Mas, como existe mais de um tipo, iremos falar com detalhes abaixo.

Quais os exames para detectar câncer de pele?

Lembrando que é muito importante para o tratamento eficaz de um câncer de pele, que ocorra um diagnóstico precoce. Afinal, quanto mais cedo, maiores são as chances de cura, pois, a depender do tipo, pode chegar a 90%!

O diagnóstico de câncer de pele, ou melanoma, acontece após a queixa do paciente com a aparição de alguma lesão na pele. Os dermatologistas indicam que o correto é você checar a sua pele pelo menos uma vez ao mês e ficar de olho caso haja mudanças.

Existem vários exames para detectar câncer de pele os quais são bem assertivos. Alguns deles são:

Exame para detectar câncer de pele saiba qual é
Exame para detectar câncer de pele saiba qual é

Dermatoscopia

Faz-se esse tipo de exame através do morfológico. Nele, o médico procura diferenciar pintinhas comuns da pele de outras que podem ser lesões de risco. Ele usa o dermatoscópio, um aparelho que permite uma visão profunda da pele através de imagens. Dessa forma, facilita a documentação das lesões, pintas e manchas.

Vale lembrar que nesse tipo de exame, em geral, o profissional médico dermatologista procura concluir ele por meio de biópsia.

Exame morfológico

Nesse tipo de exame, o médico irá observar a cor, forma, tamanho, textura, descamação ou a presença de sangramento na lesão apresentada para diagnóstico. Além do mais, verifica o tamanho dos gânglios linfáticos e averigua se há presença de líquido acumulado, que sugere que o melanoma pode ter se espalhado para outros locais. Diante disso, pode indicar exames para verificar se há metástase.

Biópsia

Esse é um tipo de exame para detectar câncer de pele onde se retira um pequeno tecido para amostra. Feito isso, encaminha-se para uma clínica especializada no diagnóstico por um profissional chamado patologista. Existem várias formas de biópsias, e algumas são feitas com anestesia, outras com bisturi.

E esses são alguns dos exame para detectar câncer de pele que o médico pode solicitar.

Exames de diagnósticos moleculares de tipos de câncer de pele

O médico dermatologista pode solicitar alguns testes específicos, como por exemplo os exames moleculares. Esses, irão auxiliá-lo no diagnóstico, e no melhor tipo de tratamento que for ideal. Os principais conhecidos são:

DecisionDx-Melanoma: sendo esse o tipo de teste mais novo disponível no mercado, ele examina os padrões de expressão genética das células do melanoma. Fora isso, avalia o possível desempenho que um melanoma em estágio inicial tem de se espalhar.

O resultado desse exame pode ajudar uma pessoa diagnosticada com melanoma no estágio inicial. Feito isso, indica-se para um tratamento adicional. Dessa forma, evita que haja uma recorrência na doença por meio de um tratamento mais incisivo e constante.

Genotipagem pela técnica de SNaPshot: essa técnica é usada para identificar de forma rápida e precisa a presença de anormalidades genéticas na pele que podem estar ligadas ao aparecimento e possíveis evoluções dos melanomas, e é realizada por meio de retirada de amostras no momento da biópsia.

As mutações genéticas mais encontradas nesse exame são: BRAF V600E, BRAF V600K, NRAS Q61L e NRAS Q61R. Mas, em caso de pacientes com nível de melanoma avançado, as amostras da biópsia procuram determinar se existem alguns genes específicos, como por exemplo o gene BRAF.

Hibridização Fluorescente in situ (FISH) para melanoma: nesse tipo de exame, é avaliado possíveis anormalidades genéticas ligadas ao aparecimento e desenvolvimento de melanomas nas biópsias coletadas. O principal objetivo desse procedimento é diferenciar um tumor maligno do benigno e, assim, indicar à equipe médica o melhor tratamento naquele caso específico.

Post Anterior: Câncer De Pele Na Mão: Saiba A Respeito Para Se Prevenir

 
Blog Especialista em câncer de pele Dr. Bones Jr.
Dr. Bones Junior

O Dr. Bones Jr. é graduado em Medicina pela Universidade Federal de Goiás e especializado em Dermatologia há mais de oito anos. Ele oferece atendimento e tratamentos humanizados, com técnicas de última geração, incluindo a especialização em Mohs, para proporcionar uma consulta dermatológica completa e eficaz.

Phone
WhatsApp
WhatsApp
Phone