Câncer de Pele no Pé: entenda e saiba como é

Você já ouviu falar do câncer de pele no pé? O câncer de pele é uma doença bem presente em todos os países do mundo. Mas, no Brasil, ele representa algo em torno de 30% dos diagnósticos. Com isso, é o tipo de câncer de pele mais tratado pelo SUS – Sistema Único de Saúde. 

A sua causa se deve a vários fatores. Contudo, muitas pessoas se perguntam se é possível a existência de câncer de pele no pé, e a resposta é: sim. Existe um tipo de câncer que atinge os pés, conhecido como “melanoma palmo-plantar e ungueal” ou “melanoma acral”.

Existem quatro subtipos de melanoma, e alguns têm chances de tratamento de cerca de 90% de chances de cura. Ou seja, a chance de cura da doença é altíssima se diagnosticada de forma precoce. Mas, esse que atinge os pés, o melanoma acral, a sua incidência é muito pequena em relação aos outros.

Sintomas e aspectos do câncer de pele no pé

Esse tipo de tumor, inicialmente, costuma ser com uma pinta. No entanto, ela pode ser tanto na pele de cima dos pés ou mãos com um aspecto preto, e embaixo das unhas em linhas pretas.

Por isso, fique atento às manchas pretas que estiverem crescendo continuamente, seja nas palmas das mãos ou nas plantas dos pés. Afinal de contas, esses dois locais são os de maior incidência deste tipo de melanoma.

Existe uma série de confusões que podem ser causadas com esse tipo de câncer, pois, às vezes, algumas pessoas que tratam o câncer de pele no pé por anos como se fosse uma simples micose. Se perceber isso, procure ajuda imediata de um dermatologista!

Portanto, observe: caso sua pedicure ou manicure trate algo assim e não obtenha melhora, o correto é procurar um médico especializado imediatamente para avaliação. Afinal, as suspeitas de um caso assim é, em sua maioria, confirmada.

Se houver isso, procure por um dermatologista para ser encaminhado para um exame de biópsia. Caso haja confirmação, inicie o tratamento de forma imediata. Quanto mais cedo esse câncer de pele no pé for tratado, maiores são as suas chances de cura!

A maioria dos oncologistas chegaram ao consenso de que a maioria das manchas/pintas presentes nas palmas das mãos ou nas plantas dos pés dos pacientes é benigna e dificilmente se desenvolve e se torna um câncer maligno. Então, não tenha medo.

Quais os fatores de risco do melanoma acral?

O melanoma acral, que resulta no câncer de pele no pé e que surge na palma das mãos, ou não tem um fator de risco ainda específico. Afinal, esse tipo de melanoma surge em pessoas independentemente da cor de pele ou se houve ou não grandes exposições de sol nessas áreas.

Ou seja, até os dias de hoje, não é conhecido ainda da medicina o tipo de fator específico para o surgimento dessa doença.

Qual o tratamento para o melanoma acral?

Atualmente, o método empregado para o tratamento do melanoma acral, que ocasiona o câncer de pele no pé, é a cirurgia. Nesse tratamento, remove-se a massa de tumor. Contudo, se o caso for de um tumor avançado ou maligno, há necessidade de uso do tratamento quimioterápico.

Vale ressaltar que os pacientes que passam por este tipo de tratamento adquirem sequelas graves. E isso acontece porque a pele presente na palma das mãos ou na planta dos pés é muito importante para o uso no dia a dia. Ou seja, faz com que haja uma grande dificuldade de ações usando esses membros.

Há alguns procedimentos a serem empregados nesse tipo de cirurgia, como por exemplo: pode-se esperar que a pele aberta se reconstitua e cicatrize, ou pode-se fazer enxerto ou retalho no local para acelerar o processo. Cada indivíduo pode responder ao tratamento de uma forma. Com isso, é extremamente necessário uma avaliação individual.

Câncer de Pele no Pé entenda e saiba como é
Câncer de Pele no Pé entenda e saiba como é

Como identificar se manchas são um tipo de câncer de pele no pé?

O médico dermatologista emprega o exame de observação da mancha chamado ABCD. Nele, verifica-se algumas questões em relação às manchas e pintas, a fim de identificar se pode ser um câncer de pele no pé, por exemplo. As 4 principais características são:

A – Assimetria da lesão: se o sinal, mancha/pinta é diferente em suas metades;

B- Borda irregular: quando o contorno da pinta/mancha/sinal é irregular ou não liso;

C – Cor: se as cores presentes na mancha, sinal ou pinta são diferentes, podendo ser: preto, marrom ou avermelhada;

D – Diâmetro: se a mancha, sinal ou pinta tem tamanho maior do que 6mm.

Vale ressaltar que não só um especialista pode observar isso em uma mancha. Você, em sua própria casa, também pode fazer isso, ou até mesmo sua manicure ou pedicure. Então, caso perceba, procure uma consulta com um especialista dermatológico para essa finalidade.

Procure, após o banho ou em frente a um espelho, observar todo o seu corpo. Observe as suas costas e a parte de trás das orelhas, couro cabeludo e a planta dos seus pés. Faça isso sempre e, caso observe a presença de algo, procure um especialista.

Vale ressaltar também que você pode documentar o aparecimento de alguma mancha, sinal ou pinta em sua pele, em especial se elas estiverem presentes no seu couro cabeludo. Peça ajuda para alguém e faça fotos ou vídeos. E, caso não haja cicatrização em 1 mês, procure um dermatologista urgente!

Melanoma palmo-plantar e ungueal é raro

Esse tipo de melanoma também causa câncer de pele no pé. No entanto, é algo que aparece em torno de 1% das pessoas com câncer de pele. Mas, devido a sua especificidade, ele é de difícil observação ou diagnóstico.

Por conta disso, caso você perceba alguma alteração na palma de suas mãos ou planta dos pés, procure ajuda médica especializada o quanto antes for possível.

Vale ressaltar que para prevenir esse tipo de câncer, você também pode passar protetor solar nessas áreas do corpo caso vá fazer uma caminhada ou ir à praia ou piscina, por exemplo. Lembrando que a luz azul emitida por aparelhos celulares, lâmpadas e televisores também prejudicam a pele.

Sol e a vitamina D3

Algumas pessoas precisam de exposição ao sol para elevar os seus níveis de vitamina D, e se você já teve câncer de pele, o ideal é fazer a suplementação oral de vitamina D3. E caso for se expor a luz solar, fazer após as 16 horas e por no máximo 15 minutos!

Post Anterior: Câncer De Pele Parece Espinha: Saiba Se É Comum

 
Blog Especialista em câncer de pele Dr. Bones Jr.
Dr. Bones Junior

O Dr. Bones Jr. é graduado em Medicina pela Universidade Federal de Goiás e especializado em Dermatologia há mais de oito anos. Ele oferece atendimento e tratamentos humanizados, com técnicas de última geração, incluindo a especialização em Mohs, para proporcionar uma consulta dermatológica completa e eficaz.

Phone
WhatsApp
WhatsApp
Phone