Carcinoma basocelular nariz tem cura?

O carcinoma basocelular nariz é um tipo de câncer um tanto quanto comum, mas que ainda assim é normal com que algumas pessoas se sintam preocupadas sobre o problema.

Afinal de contas, tem-se a ideia de que todo e qualquer tipo de câncer é agressivo. Mas será que com o carcinoma basocelular nariz é a mesma coisa?

A verdade é que, no Brasil, o câncer de pele é um dos mais comuns, o qual é capaz de acometer pessoas com mais de 40 anos de idade.

É claro que outras pessoas podem desenvolver esse problemas, mas a exposição solar prolongada costuma ser o principal fator da doença.

Por essa razão que pessoas mais velhas tendem a serem mais suscetíveis ao desenvolvimento do carcinoma basocelular nariz.

De todas as áreas do nosso corpo, o rosto é a região que está mais predisposta à exposição solar excessiva.

Por isso, o nariz costuma ser um dos locais mais comuns para se desenvolver o câncer. Através desse artigo, iremos falar um pouco mais sobre esse assunto.

Quais são os sintomas do carcinoma basocelular nariz?

O carcinoma basocelular (CBC), é um tipo de câncer bem comum e, por mais que seja maligno, a verdade é que as chances de cura são bem altas.

No entanto, para aumentar ainda mais a possibilidade de tratamento, o ideal é se manter atento em relação aos principais sintomas.

Dentre os primeiros sinais do câncer de pele no nariz, a presença de pintas e manchas são os principais, os quais você precisa ficar atento.

Também é vital ficar de olho em manchas que sangram, descamam e coçam, haja vista que esse não é um sintoma comum.

Preste atenção nas pintas para saber se elas mudam de cor, tamanho ou forma. Caso tenha alguma ferida que não cicatrize há mais de 4 semanas, esse também é um sinal de risco.

Tenha em mente que o carcinoma basocelular nariz costuma ter um crescimento lento, algo que faz ser ainda mais necessário ficar atento.

E, a qualquer indício desses sintomas, é fundamental procurar por um médico especialista, a fim de que ele possa fazer os devidos exames.

Afinal de contas, quando se tem um diagnóstico precoce, as chances de cura são muito mais altas, além de tornar o procedimento mais fácil.

Para que o médico tenha um diagnóstico ainda mais preciso, com certeza ele irá solicitar um exame bem detalhado.

Nesse caso, ele pode solicitar uma biópsia da pinta ou da mancha. Dessa forma, será possível confirmar ou descartar a presença de um tumor.

O cirurgião plástico ainda é capaz de averiguar se é um tumor maligno ou benigno, bem como indicar o tratamento mais adequado para o seu caso.

Carcinoma basocelular nariz tem cura
Carcinoma basocelular nariz tem cura

Carcinoma basocelular nariz tem cura?

Sim, o câncer de pele no nariz tem cura. É claro que isso pode variar de acordo com algumas características do seu caso, mas, no geral, a probabilidade de cura é bem alta.

Não apenas o tumor de pele no nariz, como em qualquer outro lugar, possuem chances de cura. Mas, para que isso ocorra, o ideal é descobrir o quanto antes.

Quanto maior a demora para descobrir, maiores são os riscos. Inclusive, casos mais graves requerem um procedimento mais intenso.

Por consequência, isso pode levar o paciente a ter que optar por algum dos tratamentos faciais, a fim de melhorar a estética.

Nesse caso, a cirurgia plástica se torna uma excelente aliada. Mas, para evitar tudo isso, é vital dar prioridade para o tratamento precoce.

Como o rosto e em especial o nariz são regiões muito expostas ao sol, acaba que quanto maior for a lesão, maior será a dificuldade para a reconstrução.

Portanto, o sucesso do tratamento precoce não ocorre apenas pelo maior índice de cura, mas também por promover um melhor resultado estético.

Contudo, o tratamento sempre irá depender de acordo com as características da doença do paciente, o que faz ser necessário uma avaliação individual.

O médico precisa saber o estágio da doença, localização do tumor e, em especial, a condição clínica do paciente.

Afinal, antes de submeter o paciente a um centro cirúrgico, deve-se saber se ele seria capaz de resistir a determinados procedimentos.

Cirurgia de carcinoma basocelular no nariz

A verdade é que há mais de um tratamento do carcinoma basocelular por via cirúrgica, sendo que o médico deve analisar cada caso de forma única, a fim de averiguar qual é o método mais adequado

Mesmo os de baixa letalidade requerem um tratamento eficaz, uma vez que, caso haja negligência, pode ocorrer lesões mutilantes ou desfigurar a área, algo que irá causar ainda mais sofrimento.

A fim de tratar a asa nasal, o médico pode optar pela técnica que mais for conveniente, uma vez que é preciso avaliar o caso como um todo, inclusive se há fator de risco.

A modalidade cirúrgica não depende apenas do ponto de vista médico, mas sim de acordo com o tipo e extensão da doença.

Em relação aos principais tratamentos cirúrgicos do carcinoma basocelular nariz, podemos citar os seguintes:

Cirurgia excisional

Nada mais é quando o médico deve remover o tumor com um bisturi, junto com uma borda adicional de pele saudável. Isso é importante para averiguar se há margens comprometidas.

No geral, essa é uma técnica que costuma ter um índice de sucesso e cura bem alto, o qual é possível empregar em casos de tumores recentes.

Além disso, para poder passar por esse procedimento, o paciente deve ser submetido à anestesia local e, às vezes, sob sedação.

Uma das grandes vantagens da cirurgia excisional é o fato de o paciente pode voltar para a sua casa logo no mesmo dia.

Afinal de contas, tanto a remoção quanto a plástica reconstrutora ocorrem no mesmo dia, dentro do mesmo espaço de tempo em que ocorre a cirurgia.

Feito isso, o médico deve enviar o produto da cirurgia para que seja feito uma análise patológica, a fim de confirmar a cura.

recuperação Carcinoma basocelular nariz
recuperação Carcinoma basocelular nariz

Cirurgia micrográfica de Mohs

A cirurgia micrográfica de Mohs com certeza é um dos tratamentos mais comuns para o carcinoma basocelular nariz.

E isso acontece porque, de todos os métodos existentes, é um dos que possuem a maior taxa de cura e eficácia.

Afinal de contas, a cirurgia não apenas consiste na remoção da lesão, mas também analisar as margens cirúrgicas em seguida, no microscópio.

Dessa forma, o cirurgião consegue saber, na hora, se há algum resquício de célula tumoral. Ou seja, costuma ser uma técnica muito mais precisa.

Além disso, também é um excelente método para o paciente, uma vez que exclui a necessidade de ter que sacrificar alguma parte de pele saudável.

Curetagem e eletrodissecção

A curetagem nada mais é que um tipo de processo em que o médico deve remover, de forma manual, toda a lesão ou o câncer de pele.

Mas, nesse caso, ele deve usar um instrumento cortante que tem formato de colher, que se chama “cureta”.

Essa curetagem pode ser feita em qualquer região do corpo, sendo que o número de sessões irá depender de acordo com a gravidade do quadro.

Depois da curetagem, deve-se fazer a cauterização, que é quando se aplica uma substância ácida ou cáustica sobre a lesão.

Também é possível chegar nesse resultado usando fontes de calor, como o uso de corrente elétrica de alta frequência.

Nesse caso, destrói-se o tecido para que seja possível eliminar as células cancerosas que restam, a fim de que a pele cicatrize e estanque sangramentos.

Porém, esses são procedimentos em que o cirurgião pode optar por fazer apenas em alguns tipos de câncer de pele.

Criocirurgia e imunoterapia

Trata-se de um ótimo tratamento para o carcinoma basocelular nariz, mas desde que eles sejam pequenos e mais simples. Fora isso, a técnica não é tão eficiente em regiões como:

  • Orelhas;
  • Pálpebras;
  • Couro cabeludo;
  • Pernas;
  • Nariz etc.

Além disso, a crioterapia pode ser útil no tratamento de tumores maiores, em sessão única. Nesse caso, o intuito é de aliviar os sintomas da doença.

Terapia fotodinâmica

Não é bem uma cirurgia, mas é uma das formas que o médico pode encontrar para tratar o carcinoma basocelular nariz.

Nesse caso, trata-se da aplicação de um creme fotossensível, seguido da aplicação de uma fonte de luz um pouco mais intensa.

Ao aplicar o creme, as células tumorais se tornam mais sensíveis à luz, o que torna possível eliminar as células cancerígenas.

No entanto, esse é um tratamento mais adequado apenas para alguns tipos iniciais de câncer ou mesmo para lesões precursoras do câncer.

Radioterapia e quimioterapia

Também não é exatamente uma cirurgia, mas é uma maneira de tratar o carcinoma basocelular nariz depois do processo cirúrgico.

Trata-se de um tratamento fundamental para os casos mais graves de doença, em especial quando há riscos de recidivar.

Referências

Cicatrização por segunda intenção no tratamento de carcinoma basocelular nasal. Disponível em:
http://www.rbcp.org.br/details/1737/pt-BR/cicatrizacao-por-segunda-intencao-no-tratamento-de-carcinoma-basocelular-nasal

Tratamento do Carcinoma Basocelular. Disponível em:
http://www.oncoguia.org.br/conteudo/tratamento-do-carcinoma-basocelular/1225/270/Carcinoma basocelular simulando tumor intranasal: tratamento com cirurgia micrográfica pelo método de Munique. Disponível em:
https://www.scielo.br/j/abd/a/9PnJrmPZ3FhzXxYBN7hmHgv/?lang=pt

Blog Especialista em câncer de pele Dr. Bones Jr.
Dr. Bones Junior

O Dr. Bones Jr. é graduado em Medicina pela Universidade Federal de Goiás e especializado em Dermatologia há mais de oito anos. Ele oferece atendimento e tratamentos humanizados, com técnicas de última geração, incluindo a especialização em Mohs, para proporcionar uma consulta dermatológica completa e eficaz.

Phone
WhatsApp
WhatsApp
Phone